804kWh poupados
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Patrícia Alves Fernandes

Convidado

Artigos publicados

Infância

Porque nos emocionamos na festa da escola? 

Porque nos sentimos trémulos e quebramos perante cantigas que nos furam os tímpanos, teatrinhos desconexos e garotos aos saltos? A resposta está na nossa história.
Pai Natal

Carta de um adulto ao Pai Natal

Saúde. Deve estar no topo dos apelos do adulto que saiu dos vinte. Se não é a sua primeira escolha é porque a vida ainda não lhe ensinou quase nada ou teve imensa sorte.
Televisão

Já merecíamos uma televisão diferente

Será que a promoção de comportamentos exacerbados é o que realmente precisamos ao serão? Um enlatado não tem que ser um produto mau, mesmo que rápido e barato pode ser nobre. A televisão também.
Guerra

Carta para a minha avó

E ali estão eles, tão iguais a nós. Podia ser eu. É no quintal do vizinho, mas podia ser no nosso. Podiam ser as nossas árvores, os nossos canteiros de tulipas, a nossa terra.
Eleições

Votei em isolamento mas não sozinha

Sempre que as falhas persistirem estamos a beneficiar a abstenção. Esta não começa nem acaba nas pessoas que não saem do sofá para ir votar, ela é o resultado das expetativas que não se cumprem.
Comportamento

As pessoas e as pessoinhas

Estamos socialmente tão pobres que quando aparece um Gouveia e Melo, com determinação e retidão, ficamos à espera do erro, tememos que lhe notem algum descuido.
Natal

O Natal é das mulheres

Por estes dias, vemo-las passar velozes pelos corredores dos centros comerciais com manuscritos em punho, que incluem os meninos, os primos dos meninos, os netinhos, uma lembrança para a creche.
Democracia

Um dia na mesa de voto

Nas urnas cabem todos os estilos, credos, raças e convicções. É dia de rever os vizinhos, os amigos antigos e trocar memórias sobre a professora Isaura que nos ensinou todos a ler.
Sociedade

Filhos, o nosso maior pesadelo

O quarto de Tiago continua intacto. A cama feita, as roupas dobradas, os livros do primeiro ano de engenharia sem sinais de uso. A luz entra, as estações passam, os cheiros permanecem.
Sociedade

Quando morrem os da tua idade

É um murro no estômago que nos dobra e diminui. Torna-nos frágeis e débeis perante o que não controlamos e nos amedronta.
Sociedade

Os novos parolos digitais

Ironicamente, nada mais somos que um hamster preso numa roda, um rato que percorre quilómetros sem sair do lugar, na ânsia de superar a imagem postada há segundos.
Sociedade

A Valentina numa sociedade de fracos

A Valentina foi uma vítima de todos os fracos e a sua morte é uma debilidade da qual nos devemos envergonhar como sociedade.
Sociedade

A sorte com que se nasce e a que se faz

Na Malveira, no Funchal, em Rans, no Cerco ou na Cova da Moura, precisamos de continuar a acreditar que a sorte ainda protege os que têm a ousadia de sonhar.
Sociedade

É Natal, mas não se sinta obrigado a estar feliz

O Natal devia ter sempre primos em abundância, barulho a mais, lareiras vivas e quentes, filmes que sabemos de cor. Só que às vezes não tem nada disto, mas não deixa de acontecer.
Sociedade

És mais feliz do que julgas ser

Falta-nos a coragem e a energia. Mas mais do que isso, falta-nos a dor dos outros. Por maior que seja a nossa compaixão, nunca saberemos, porque não estivemos lá, no lugar onde os outros sofrem.
Sociedade

A certeza que tudo muda num segundo 

A consciência que nada prevemos, dominamos ou quase nada decidimos, determina o nível de coragem com que encaramos os riscos, seguimos por atalhos e repetimos lengalengas seguras como mantras.
Futebol

No Porto é mais difícil e por isso sabe melhor

Se o F.C. Porto foi um justo campeão? Não sei. Os estudiosos terão uma opinião mais consistente e fundamentada. A minha está profundamente toldada pela alegria de adepta.

Esta piada deixou de ter graça

Quantos lol vale uma gargalhada? Confesso que desconheço por ignorância. O que lhes podemos desejar é que tenham muitos motivos para sorrir até contorcer a barriga e doerem-lhes os maxilares.
Desporto

O que vai fazer quando esta guerra acabar?

Não espere tirar grandes lições nem alcançar enormes feitos. Não se obrigue a mudar, a ser melhor pessoa, a ter mais paciência, a fazer o que não foi feito. E cuide-se para os dias bons que vão chegar
Coronavírus

Sim, tenho medo deste vírus e depois?

Onde vou deixar as crianças? Será melhor fazer as compras online? E as férias no Algarve? Está o Estado preparado para cuidar de mim? Melhor ir a pé do que de metro. Pelo caminho compro uns enlatados.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar

19 MAIO 2024 - SEDE OBSERVADOR

Atos de vandalismo não nos calarão.

Apoie o jornalismo que há 10 anos se pauta pela liberdade de expressão e o nunca vergar por qualquer tipo de intimidação.

Assine 1 ano / 29,90€

MELHOR PREÇO DO ANO