Logo Observador
Livros

Ensaios, sonhos e tentações

108

Os escritos menos conhecidos de uma das maiores autoras portuguesas, uma viagem literária pelos EUA e uma obra de referência sobre um dos grandes pintores açorianos são as escolhas de Vasco Rosa.

LUISA FERREIRA

Autor
  • Vasco Rosa

Ensaios e Artigos 1951-2007
Agustina Bessa-Luís
(Fundação Gulbenkian)

Agora que o editor reimprimiu estes três volumes que se esgotaram em poucas semanas, conhecer ou reler os dispersos desta escritora impactante é uma boa aposta para férias de verão, quando há tempo para levar a eito uma leitura tão extensa. Organizados cronologicamente, estes escritos são o comentário quotidiano de toda uma vida literária longa de cinco décadas. Agustina no seu melhor, sempre imprevisível, quase sempre ou sempre genial.

Viagem ao Sonho Americano
Isabel Lucas
(Companhia das Letras)

À medida em que foram aparecendo no Público, as reportagens “A América pelos livros” que constituem este volume afirmaram-se claramente como um projecto muito original e consistente que não podia deixar de ser fixado num livro antológico. Isabel Lucas percorreu durante um ano, de costa a costa, o país a partir de doze romances que expõem visceralmente os Estados Unidos da América de diferentes épocas: a grande literatura, pois que de grande literatura se trata, num livro que, digo-o há muito, merece ser lido — e premiado. Aposto nisso.

António Dacosta: a tentação mística
Fernando Rosa Dias
(DRAC e FABL)

Depois de ter sido o comissário científico da grande exposição retrospectiva do pintor António Dacosta na Fundação Gulbenkian, e coordenador do respectivo catálogo comprovado (catalogue raisonée) online, Rosa Dias persistiu, escrevendo este livro que merece tornar-se a grande obra de referência acerca do pintor açoriano. Publicado pela Direcção Regional de Cultura e pela Faculdade de Belas-Artes de Lisboa, instituições discretas, não pode contudo passar despercebido.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Terrorismo

Um homem, um gesto

Laurinda Alves

Fernando Álvarez fez sozinho o minuto de silêncio e humanamente ganhou em toda a linha. Harry Athwal, que permaneceu ajoelhado ao lado do rapazinho, deu um testemunho admirável de coragem e humanidade