Cerca de 75% das pessoas desconhecem que estão em risco de desenvolver zona e 60% não sabem sequer que a doença é causada pela reativação da varicela, revela um inquérito divulgado esta quarta-feira pela Sociedade Portuguesa de Medicina Interna e pela Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar.

O inquérito “Zona e sua prevenção – O que sabem os portugueses” foi realizado entre 14 e 24 de abril e foi elaborado através de um questionário online que envolveu 5.452 portugueses com idades entre os 18 e os 65 anos. O objetivo era perceber o grau de conhecimento dos portugueses em relação à zona, uma doença dolorosa e debilitante que afeta cerca de uma em cada quatro pessoas ao longo da vida.

Sete em cada dez portugueses inquiridos afirmam “já ter ouvido falar” da zona, mas revelam grande desconhecimento em relação à doença. 80% não sabe que pode ser prevenida e apenas 10% sabe da existência de uma vacina como forma de prevenção.

De acordo com o estudo, apenas 11% dos inquiridos disseram saber que uma em cada quatro pessoas irá desenvolver a doença ao longo da vida e 79% não sabem que o risco de um episódio de zona mais do que duplica a partir dos 50 anos. Relativamente ao impacto que a zona poderá ter na vida de uma pessoa, 43% desconhece que pode “provocar dor intensa com profundo impacto em termos de qualidade de vida”.

Quando questionados sobre as causas da doença, 45% dos inquiridos disseram desconhecer as razões que dão origem à zona. Mais de metade não sabe como se trata e o médico de família é o especialista de eleição a quem recorreriam num caso de suspeita de zona, refere o estudo, acrescentando que cerca de metade dos inquiridos disse conhecer pessoas que já tiveram a doença.

Mas o que é afinal a zona?

Segundo a Sociedade Portuguesa de Medicina Interna e a Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, a zona começa com uma erupção na pele mas é uma “doença dolorosa e debilitante” que afeta cerca de uma em cada quatro pessoas ao longo da vida. Pode aparecer em qualquer pessoa que tenha tido varicela, uma vez que resulta de uma lesão dos nervos causada pela reativação do vírus da varicela, que a maioria das pessoas tem durante a infância.

À Agência Lusa, o presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna, Teixeira Veríssimo, explicou que a doença pode culminar numa “dor difícil de suportar”. “Perturba muito a qualidade de vida das pessoas e, muitas vezes, não fica apenas por uns dias ou uns meses. Em muitas situações dura anos”, diz Teixeira Veríssimo.

O especialista de Medicina Interna sublinha ainda que “pode ser prevenida com a vacina”, aconselhada a partir dos 50 anos, idade em que “a doença começa a aparecer com maior prevalência”.

Anualmente, são diagnosticados cerca de 1,7 milhões de novos casos de zona na Europa, sendo que dois terços dos casos ocorrem em pessoas com mais de 50 anos.