Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

As aranhas são predadoras, sobre isso não haja dúvida. Mas as estratégias que usam são mais variadas do que as teias que estendem entre pontos fixos – ainda que algumas possam ser tão grandes que vão de uma margem à outra do rio, atingindo 25 metros. Outras podem caçar, camufladas em buracos ou saltando para cima das presas. Mas já imaginou uma aranha a pescar?

Afinal é mais comum do que os cientistas inicialmente imaginavam – existem aranhas pescadoras em todos os continentes, com exceção da Antártida. Apanham peixes nas margens dos rios e lagos, bem maiores e mais fortes do que elas. Os peixes capturados podem ter mais de duas vezes o comprimento das aranhas e alguns 4,5 vezes o peso destas, lê-se no artigo publicado na Plos One. Nada que uma boa dose de veneno não resolva.

Para conseguirem apanhar peixes, as aranhas são capazes de caminhar sobre a água, ficar paradas sem se afundarem ou mesmo mergulhar. Mas não são os únicos artrópodes com habilidades piscatórias. Há ninfas de libélulas ou escorpiões-de-água que também fazem pesca subaquática.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR