As autoridades alemãs detiveram esta semana um alegado espião alemão que terá passado informações confidenciais para as agências de inteligência norte-americanas, o que levou as autoridades de Bona a convocarem o embaixador dos EUA para discutir e “resolver rapidamente” o caso.

Ambas as autoridades dos dois países aliados divulgaram pouca informação sobre o caso de espionagem. Sabe-se apenas que o suspeito, de 31 anos, que integrava os serviços de informações da Alemanha, terá sido agente duplo durante dois anos e terá estado ao serviço da Agência de Segurança Nacional norte-americana (NSA, na sigla inglesa), segundo informações divulgadas pelo semanário Der Spiegel e o diário Suddeutsche Zeitung.

O alegado agente-duplo, que trabalhava para a inteligência alemã, terá roubado documentos governamentais, incluindo ficheiros do comité especial do Bundestag (parlamento alemão) relacionados com os casos dos programas de vigilância da NSA, e vendido posteriormente aos EUA por milhares de dólares,

“Não temos comentários”, disse a porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Caitlin Hayden, através de uma mensagem de correio eletrónico. Aos pedidos de esclarecimento das agências de notícias, o Departamento de Estado dos EUA também não deu nenhuma resposta.

Mas as notícias voltaram a inflamar a opinião pública contra o governo norte-americano, diz a CNN.

As relações entre os EUA e a Alemanha deterioraram-se depois de o ex-analista de informações Edward Snowden ter revelado que a NSA espiou o telefone pessoal da chanceler alemã, Angela Merkel, durante anos.