Fotogaleria

Breaking Bad e Modern Family foram os grandes vencedores da noite dos Emmys

"Game of Thrones" e "House of Cards" não conseguiram superar "Breaking Bad". O mesmo aconteceu com "Orange is the new Black" e "Veep", que saíram (quase) de mãos a abanar.

“Breaking Bad”, “Modern Family” e “Sherlock: His Last Vow” foram os grandes vencedores dos Emmy de 2014, arrecadando a maioria dos prémios atribuídos na noite de segunda-feira em Los Angeles, Estados Unidos.

A série “Breaking Bad” venceu o Emmy de melhor série dramática, rematando uma noite triunfante em que conquistou também os prémios de melhor ator (Bryan Cranston) e melhor ator e atriz secundários (Aaron Paul e Anna Gun).

A série de culto sobre um professor de química que se transforma num produtor e traficante de droga venceu os rivais “Downton Abbey”, “Game of Thrones”, “House of Cards”, “Mad Men” e “True Detective” na 66ª edição da cerimónia, conhecida como os Óscares da televisão.

O prémio para melhor atriz em série dramática foi atribuído a Juliana Margulies, pela sua performance na série de advogados “The Good Wife”. Para traz ficaram as atrizes Lizzy Caplan (“Masters of Sex”), Claire Danes (“Homeland”), Michelle Dockery (“Downton Abbey”), Kerry Washington (“Scandal”) e Robin Wright (“House of Cards”).

Já “Modern Family” venceu, pelo quinto ano consecutivo, o título de melhor série de comédia, ficando à frente de “The Big Bang Theory”, “Louie”, “Orange Is The New Black”, “Silicon Valley” e “Veep”.O ator Ty Burrell, que interpreta o papel de Phil Dunphy, venceu o prémio de melhor ator secundário de comédia, um galardão que já tinha conquistado em 2011. A série conseguiu também o prémio de melhor realização, atribuído a Gail Mancuso.

“Sherlock: His Last Vow” conquistou os prémios de interpretação na categoria de minissérie ou telefilme, com Benedict Cumberbatch a receber o galardão de melhor ator e Martin Freeman de melhor ator secundário. A produção conseguiu ainda o Emmy para melhor guião de minissérie ou telefilme, atribuído a Steven Moffat, mas perdeu o prémio de melhor filme para o pequeno ecrã, atribuído a “The Normal Heart”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crónica

Os meninos à roda da propaganda /premium

Helena Matos
2.193

O menino que em 2012 chorava porque a mãe não tinha dinheiro para comprar bolachas agora quer salvar o planeta. O que mudou? A cor política do Governo. As bolachas essas continuam iguais. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)