António José Seguro e António Costa estão numa campanha cada vez mais crispada e nem para a realização de debates na televisão se entendem. Há semanas que interlocutores de um lado e de outro começaram a reunir-se com a comissão eleitoral e trocam emails, mas ainda não há decisão sobre qual o modelo nem as datas. A indecisão levou esta quarta-feira Seguro a acusar Costa de “fugir” a debates.

“Por mim já tínhamos feito vários debates. Quem foge dos debates é o António Costa”, disse Seguro aos jornalistas, falando à margem de uma visita à companhia de processamento de tomate FIT (Fomento da Indústria de Tomate) em Palmela, distrito de Setúbal, citado pela Lusa.

Em causa está não só a data dos debates como o modelo: a única coisa que acertaram até agora foi que dois debates serão feitos antes do dia 12 de setembro e um mais tarde, antes das eleições. Quando? A data do acordo foi novamente adiada para esta quinta-feira, quando Jorge Coelho, presidente da comissão eleitoral espera reunir o consenso dos dois.

No que ao modelo diz respeito, fonte apoiante de Seguro culpa António Costa pelo impasse, diz que o autarca quer debates de 25 minutos, lembrando a experiência das últimas presidenciais, enquanto Seguro defende debates de 45 minutos. Do lado de Costa, ninguém quis falar com o Observador.

Aos jornalistas, Seguro disse esta terça-feira que está “disponível para debater” quer com António Costa quer com o primeiro-ministro e que “finalmente” irá debater com Costa na próxima semana.