Quando um assessor contou a Kailash Satyarthi que ele tinha acabado de ganhar o Prémio Nobel da Paz, o ativista indiano de 60 anos nem ligou, pensando que era uma piada. Não era.

“Ele pensou que alguém nos estava a pregar uma partida”, contou ao Wall Street Journal Rakesh Senger, colega de Satyarthi. Até que o telemóvel do ativista começou a tocar. Do outro lado estava um jornalista estrangeiro a pedir-lhe uma reação ao prémio. Seguiu-se uma intervenção do comité do Nobel e Kailash Satyarthi caiu em si: tinha acabado de ganhar um Nobel da Paz, a par com Malala Yousafzai.

As mensagens e os jornalistas começaram a dirigir-se em força à sede do movimento Save the Childhood, fundado por Satyarthi. “Não houve tempo para reagir. Só agora, depois de todo o frenesim dos media, é que me apercebi, ‘Oh! Eu alcancei isto'”, contou o ativista que muitos já comparam a Mahatma Gandhi.