O Japão assinalou hoje o 20.º aniversário do terramoto na cidade portuária de Kobe, que matou mais de 6.400 pessoas, com apelos à população para se manter vigilante em relação a novos desastres.

Mais de 14.000 pessoas juntaram-se para homenagear as vítimas do tremor de terra de magnitude 7,2 registado na madrugada de 17 de janeiro de 1995.

O sismo, que causou a morte de 6.434 pessoas, destruiu grande parte da cidade e levou à revisão dos planos de preparação antissísmica na nação que sofre cerca de um quinto dos terramotos de maior intensidade a nível mundial.

O imperador Akihito e a imperatriz Michiko participaram numa cerimónia na cidade com cerca de 500 participantes que cumpriram um minuto de silêncio em memória das vítimas.

“Ao aprendemos as lições do desastre, vamos fazer o nosso melhor para construir uma comunidade onde possamos viver em segurança”, disse Eriko Yamatani, ministra e presidente da Comissão de Segurança Nacional, na cerimónia.