A escritora, investigadora e defensora dos direitos das mulheres Ana Vicente, 72 anos, morreu no domingo, no Estoril, vítima de cancro, disse à agência Lusa fonte próxima da família. De acordo com a mesma fonte, Ana Vicente morreu em casa, acompanhada pela família.

Nascida em 1943, Ana Vicente licenciou-se em Letras pela Universidade de Lisboa, foi professora, tradutora, investigadora, e autora de mais de uma dezena de livros sobre questões de género, História, biografia, e obras para crianças.

Entre outras atividades, trabalhou na Comissão para a Igualdade e para os Direitos das Mulheres, à qual presidiu entre 1992 e 1996, e foi membro de várias Organizações Não Governamentais, incluindo o Movimento Internacional “Nós Somos Igreja”.

Entre outras obras publicou “As Mulheres em Portugal na Transição do Milénio” (1998), “As Mulheres Portuguesas vistas por Viajantes Estrangeiros, sec. XVIII, XIX e XX”(2000), “Arcádia – Notícia de uma Família Anglo-Portuguesa” (2006) na qual relata a história da própria família.

Na literatura infantil, escreveu, entre outros livros, “O H Perdeu uma Perna”, “Para que serve o Zero?”, “Onde acaba o Arco-Íris?”, “Como passa o Tempo?”, ilustrados por Madalena Matoso.