A polícia alemã deteve quatro pessoas esta quarta-feira acusadas de pertencer uma organização terrorista de extrema-direita que terá adquirido explosivos para atacar muçulmanos e abrigos para refugiados, anunciaram hoje as autoridades alemãs.

“Nas buscas, foram confiscados materiais pirotécnicos com uma grande capacidade explosiva e mais provas”, disseram as autoridades num comunicado emitido durante a manhã.

A polícia ainda está a investigar até que ponto este grupo já teria definido os alvos e as datas dos alegados ataques que estariam a ser planeados.

Os quatro suspeitos, três homens e uma mulher de 22 anos, são acusados de criar uma “organização terrorista de extrema-direita” com um grupo mais vasto de pessoas, com o nome “Sociedade da Velha Guarda”.

Dois dos acusados são suspeitos de serem os líderes deste movimento, um homem de 56 anos e outro de 39 anos, usando os títulos de presidente e vice-presidente. O quarto suspeito é um homem de 47 anos. Todos eles são cidadãos alemães.

“De acordo com as informações recolhidas até à data, o objetivo da organização era preparar ataques em grupos mais pequenos a conhecidos salafistas (uma corrente dentro do islamismo que interpreta de forma mais rígida o Corão), mesquitas e hostels para pessoas que procuram asilo na Alemanha”, segundo a Procuradoria da cidade alemã de Karlsruhe.