O sudoeste de Inglaterra está a ser assolado por gaivotas “assassinas”. A zona de Cornwall (Cornualha) é uma das grandes afetadas. Os pássaros estão a atacar várias pessoas e alguns animais, avança o Guardian e o Telegraph. Uma senhora de 66 anos chegou mesmo a precisar de tratamento hospitalar e um rapaz de quatro anos ficou “traumatizado” depois de o seu dedo ter ficado ferido. As gaivotas já levaram um cão à morte, naquele que foi um cenário descrito como “uma autêntica cena de homicídio” e também uma tartaruga foi picada e acabou por morrer, acrescenta o Telegraph.

O primeiro-ministro britânico já reconheceu o problema e quer ter “uma grande conversa” sobre este aumento de ataques de pássaros agressivos. Diz que se tem de perceber se há “necessidade de abate” e, nesse caso, há que definir o que há a fazer em relação aos ovos e aos ninhos.

Os membros do Parlamento pedem que o estatuto de “aves protegidas” seja revisto para controlar as populações de gaivotas nas áreas urbanas. A Royal Society for the Protection of Birds já pediu às pessoas para não alimentarem os pássaros, sob pena de sofrerem ataques mortíferos, mas pediu “mudanças nos estatutos” para resolver o problema.

Sue Atkinson é uma das lesadas. Foi atacada quando estava a passear o cão e conta a experiência ao Guardian. “De repente senti uma coisa. Percebi que era uma gaivota (…) e ela fez-me um corte em cima da cabeça. Não consegui ver o que estava a acontecer – estava só a sangrar”. Sue foi depois levada ao hospital para tratar os ferimentos.

O Independent diz que David Cameron já “declarou guerra aberta” às gaivotas.

O Daily Star fala em “gaivotas psicóticas”.