Se no inverno as pessoas apostam nas mantas, nos chás e nos filmes, no verão são atraídas pelas bebidas, as roupas frescas e as saídas à noite. O acréscimo de atividades ao ar livre e em conjunto poderá ser precisamente uma das razões por que nascem os amores de verão, mas não é a única.

Apoiada pela ciência, a Bustle fez uma lista de seis razões que justificam o fenómeno e o aumento da atividade sexual na época do calor.

1. Há menos roupa, e menos roupa é sinónimo de mais confiança

A não ser que o seu destino seja a Islândia, os locais mais escolhidos para fazer férias envolvem altas temperaturas e praia. No caso de ir com pensão completa para um daqueles resorts onde lhe dão uma pulseirinha, também envolve muito álcool. Liza Berdycheski e a sua equipa de investigadores descobriram que, além do álcool, também as roupas mais reveladoras tornam as mulheres mais confiantes sexualmente.

2. O sexo é melhor quando está calor (pelo menos é o que acham os americanos)

De acordo com um estudo feito em 2012 pela marca de preservativos Trojan, um terço dos americanos diz que quando as temperaturas estão mais altas, a sua vida sexual melhora. No mesmo estudo, chegou-se à conclusão de que em Miami ou em Atlanta — as regiões mais quentes dos Estados Unidos –, a atividade sexual é maior do que noutras zonas do país: enquanto em Miami as pessoas fazem sexo 102 vezes por ano, em Seattle fazem-no 75 vezes.

3. Os amores de verão fazem bem à saúde

De acordo com a Medical Daily, os amores de verão são benéficos por uma série de razões: ensinam às pessoas como comunicar (principalmente se a língua não for a mesma), porque vai ser preciso falar sobre o fim da relação e expor os sentimentos; e têm a capacidade de as tirar da sua zona de conforto, tornando-as suscetíveis a experimentarem coisas novas, tanto no sexo como na vida.

4. A cultura pop também ajuda

De acordo com a Wikipédia, existem pelo menos sete músicas com o título Summer Love desde 1957, sendo que as de Justin Timberlake e dos One Direction foram as últimas a juntar-se à lista. No cinema, três filmes surgiram com o mesmo título em 1958, 2001 e 2006. Ainda assim, estes números não chegam nem perto das milhares de referências que são feitas ao encanto dos amores de verão na cultura pop. E sabe-se bem quão influente é este tipo de cultura.

5. Entre maio e agosto muitos namoros acabam

Uma pesquisa aos estados civis no Facebook mostrou que para todos as faixas etárias até aos 45 anos, os meses de maio a agosto são negros para as relações, comparados com o resto do ano. Mais pessoas solteiras traduzem-se em mais amores de verão. Pelo menos até ao final de agosto.

6. Os homens suados atraem as mulheres

Uma equipa de investigadores descobriu que existem diferentes tipos de suor masculino que as mulheres conseguem cheirar. O suor do dia-a-dia e o suor produzido quando um homem está excitado ativam partes diferentes do cérebro feminino. Ao que parece, os homens suam de forma diferente quando estão no trabalho e quando estão à procura de um amor de verão, e a perspicácia das mulheres não deixa essa diferença escapar.