Não é uma coisa que o deixe “contente e satisfeito”, mas a possível candidatura de Maria de Belém à presidência da República não é “motivo de preocupação” para Sampaio da Nóvoa. Em entrevista ao Diário Económico, o ex-reitor da Universidade de Lisboa revela que falou com António Costa antes de se assumir como candidato, de quem garante não ter tido garantia de apoio. A premissa com que o procurou, garante, nem era essa: “A pergunta foi feita ao contrário: se algum dos partidos via a minha candidatura como problema ou dificuldade. E de todos recebi a resposta “de maneira nenhuma”, recorda.

O PS ainda não deu apoio oficial a nenhum candidato, mas desistir da corrida a Belém está “fora de questão” – mesmo que Maria de Belém avance. A petição de apoio à ex-presidente socialista já conta com 100 subscritores e tem nomes como os reitores da Universidade Nova – e do ISCTE. Entre 2006 e 2013, Sampaio da Nóvoa foi reitor da Universidade de Lisboa.

Se Sampaio da Nóvoa for eleito em 2016, irá viver para o Palácio de Belém. Caso já fosse presidente, não partilharia da principal preocupação de Cavaco Silva, ou seja, que “o próximo Governo tenha um apoio maioritário e consistente na Assembleia da República”. O ex-reitor diz que o importante é que o Governo que sair das eleições de 4 de outubro tenha “estabilidade governativa” e afasta um cenário de dissolução da Assembleia da República. “Não podemos andar a mudar todos os dias de regime fiscal, de enquadramentos legislativos ou governos”, sublinha.