A Polícia Federal brasileira anunciou estar a investigar uma sobrefaturação de 42,8 milhões de reais (11,1 milhões de euros) no estádio Arena Pernambuco, no Estado de mesmo nome, no nordeste do país, usado no Mundial’2014.

O estádio foi construído pela construtora Odebrecht, cujo presidente está preso sob suspeita de corrupção em contratos com a Petrobras, investigados pela Operação Lava Jato.

Além da sobrefaturação, está a ser investigada uma suspeita de fraude na adjudicação da obra do estádio para a empresa.

A polícia realizou hoje buscas e apreensões em sedes da Odebrecht nos estados de Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro, e no Distrito Federal, segundo informou a corporação.

Citada pela imprensa brasileira, a Odebrecht disse ter “convicção da plena regularidade e legalidade do projeto”, e informou estar disponível para prestar esclarecimentos e apresentar documentos, considerando “injustificáveis” as medidas adotadas hoje pela polícia.

A Operação Lava Jato, iniciada pela Polícia Federal brasileira e pelo Ministério Público Federal em março de 2014, investiga denúncias de corrupção, pagamento de subornos, branqueamento de capitais e fraudes em contratos da petrolífera Petrobras.

A investigação aponta no sentido de que empresas ligadas à construção civil formaram um cartel e pagavam subornos a funcionários e diretores da Petrobras, inclusive em contas no exterior.