O seu carro pode estar em risco – com ou sem chave. Centenas de veículos, inclusive modelos de marcas de prestígio como Porsche e Maseratis, estão vulneráveis a roubos de hackers que encontraram uma fraqueza no sistema Megamos Crypto, tecnologia responsável por prevenir que o carro arranque sem a presença da chave com o chip de identificação por radiofrequência certo.

Quem o revela é um estudo da Universidade de Birmingham e da universidade holandesa de Radbound, que concluiu que facilmente se intercetam os sinais entre o carro e o chip. E roubar o carro torna-se simples após identificar o código secreto para arrancar o veículo. Dados da Polícia Metropolitana britânica afirmam que, em 2014, cerca de seis mil veículos foram roubados desta maneira.

Entre os veículos que usam este sistema estão modelos de Audi, Fiat, Honda, Volvo e Volkswagen. Confira aqui alguns dos carros (os que se encontram a negrito foram usados no estudo em questão)

Alfa Romeo 147, 156, GT
Audi A1, A2, A3, A4 (2000), A6 A8, Allroad, Cabrio, Coupé, Q7, S2, S3, S4, S6, S8 TT (2000)
Buick Regal
Cadillac CTS-V, SRX
Citroen Jumper (2008), Relay
Chevrolet Aveo, Kalos, Matiz, Nubira, Spark, Evanda, Tacuma
Daewoo Kalos, Lanos, Leganza, Matiz, Nubira, Tacuma
DAF CF, LF, XF
Ferrari California, 612 Schaglietti
Fiat Albea, Doblò, Idea, Mille, Multipla, Palio, Punto (2002), Seicento, Siena, Stilo, Ducato (2004)
Holden Barina, Frontera
Honda Accord, Civic, CR-V, FR-V, HR-V, Insight, Jazz (2002), Legend, Logo, S2000, Shuttle, Stream
Isuzu Rodeo
Kia Carnival, Clarus, Pride, Shuma, Sportage
Lancia Lybra, Musa, Thesis, Y
Maserati Quattroporte
Opel Frontera
Porsche 911, 968, Boxster
Seat Altea, Córdoba, Ibiza, Leon, Toledo
Skoda Fabia (2011), Felicia, Octavia, Roomster, Super, Yeti
Volkswagen Amarok, Beetle, Bora, Caddy, Crafter, Cross Golf, Dasher, Eos, Fox, Gol, Golf (2006, 2008), Individual, Jetta, Multivan, New Beetle, Parati, Polo, Quantum, Rabbit, Saveiro, Santana, Scirocco (2011), Touran, Tiguan, Voyage, Passat (1998, 2005), Transporter
Volvo C30, S40 (2005), S60, S80, V50, V70, XC70, XC90, XC94

A falha já tinha sido identificada em 2012, mas uma batalha legal com a Volkswagen impediu que o estudo fosse publicado na altura. Os gigantes da produção automóvel alegavam que “o estudo daria as ferramentas necessárias para alguém roubar carros, especialmente se fizer parte de um sofisticado gang criminal”.

O estudo, “Dismantling Megamos Crypto: Wirelessly Lockpicking a Vehicle Immobiliser”, sugere que se troque o sistema por um que inclua um gerador de números aleatório, de modo a dificultar o trabalho a quem pretenda roubar o carro sem precisar de chave.