Foi o dia D, de “derrube”. O dia em que a esquerda fez cair o Governo recém-indigitado com uma moção de rejeição. A pergunta que fica no ar passa a ser: “O que vai Cavaco Silva fazer?”. Manuela Ferreira Leite considera que o Presidente da República vai agir de acordo com a Constituição, querendo com isto dizer que vai empossar António Costa. Ferreira Leite argumenta que esta é a única decisão possível:

Na situação política a que se chegou, o Presidente da República não vai tomar outra decisão além daquela que a Constituição indica que ele faça. (…) Eu julgo que é a decisão ou a solução que existe nestes casos. Não existe outra”.

A ex-líder do PSD disse ainda, em declarações à TVI, que um Governo de gestão traria mais “prejuízo” ao país do que o atual panorama político, o qual classifica como uma “situação extremamente delicada” do ponto de vista político e ético. “O PS tem uma responsabilidade enorme por ter deitado um Governo abaixo, em vez de ter tomado a iniciativa de intervir enquanto líder da oposição.”

No início do comentário político, Ferreira Leite chegou a afirmar que “não era necessária uma decisão tão radical para aspetos que não são radicais”, referindo-se à moção de rejeição apresentada pela esquerda esta terça-feira, 10 de novembro. “Eu achava que o papel do Partido Socialista, enquanto líder da oposição, era verdadeiramente conseguido através de [uma] intervenção junto do Governo sem maioria absoluta.”