O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, advertiu que não vai ceder a “exigências absurdas” por parte dos credores da Grécia, no momento em que se preparam as negociações sobre a reforma do sistema de pensões.

“Os credores devem saber que vamos cumprir o acordo à letra, mas isso não significa que iremos ceder a exigências irracionais e injustas”, afirmou Tsipras numa entrevista publicada, este domingo, no jornal grego Real News.

Segundo o primeiro-ministro da Grécia, não há compromisso “de que o dinheiro venha exclusivamente a partir de cortes nas pensões”, até porque o acordo com os credores “prevê a possibilidade de medidas equivalentes” já postas em marcha. Contudo, o líder grego admite que o sistema de pensões “está à beira do colapso” e deve ser reformado.

O Governo de Alexis Tsipras viu-se forçado em julho do ano passado, face à ameaça de uma eventual saída da Grécia do euro, a aceitar um acordo com credores europeus que prevê uma ajuda financeira de 86 mil milhões de euros ao longo de três anos.