Poucas sondagens num longo espaço de tempo agregam pouca informação que permita interpretações e até para a identificação de tendências nestas presidenciais. A mais óbvia, segundo indica Pedro Magalhães, investigador do ICS, é que Marcelo Rebelo de Sousa tem mais intenções de voto que todos os outros candidatos. As restantes só são possíveis olhando para sondagens diferentes e com as devidas cautelas.

O investigador, que dirigiu o Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Católica entre 2005 e 2009, analisou no seu blogue pessoal as sondagens já conhecidas que avaliam as intenções de voto nestas presidenciais, procedendo à redistribuição de indecisos nos inquéritos levados a cabo pela Aximage. “Podemos comparar os dados da Aximage. Há uma descida de Marcelo Rebelo de Sousa, uma descida de Maria de Belém e Sampaio da Nóvoa está a subir”, disse o investigador ao Observador.

Nas sondagens da Aximage, Marcelo começou com 56,9% das intenções de voto a 4 de novembro, caiu para 54,6% em dezembro e desceu ainda mais em janeiro, ficando-se agora em 52,9%. Com a distribuição de indecisos levada a cabo por este investigador, os números para Marcelo aumentam, mas a tendência decrescente mantém-se. No entanto, na Eurosondagem, o antigo líder social-democrata tem vindo a aumentar o número de votos.

Já Edgar Silva e Marisa Matias estão agora acima dos 3%, com a redistribuição dos indecisos, mas ainda assim, não conseguem atingir todo o seu potencial eleitoral. “Os resultados baixos são consistentes e não surpreendem porque temos três partidos diferentes [PS, PCP e BE] com eleitorado disperso por quatro candidatos [Belém, Nóvoa, Silva e Matias]”, explicou o investigador, afirmando que Sampaio da Nóvoa está a entrar no eleitorado do Bloco de Esquerda e do PCP.