O Presidente da República chegou esta terça-feira a Maputo para uma visita de cinco dias, mas na cabeça traz preocupações com a situação europeia e com o calendário complexo que se aproxima. Numa conversa com os jornalistas, a bordo do avião para Maputo, Marcelo Rebelo de Sousa revelou-se “pessimista” com a situação europeia e global e alertou para “evoluções [na Europa] que não se controlam e quem podem conter contextos complicados”.

Nos próximos tempos há eleições em Espanha e o Referendo sobre a União Europeia no Reino Unido e, mais à frente, eleições em França e na Alemanha. Marcelo chegava direto de Roma, onde esteve numa breve visita e um encontro com o Presidente da República italiana, e veio visivelmente preocupado com o quadro que se desenha na Europa, também muito pressionada pela questão dos refugiados, que implica Itália muito diretamente. Nas preocupações do chefe de Estado pesa ainda a desaceleração da economia americana, o preço do petróleo e ainda a Grécia, onde aponta “uma suspensão de contatos institucionais que merece acompanhamento e preocupação”.

Já sobre Moçambique, Marcelo Rebelo de Sousa preferiu reservou declarações sobre a situação no país para a visita de Estado que já começou e vai decorrer até sexta-feira. À chegada ao aeroporto, o Presidente da República foi recebido pelo ministro dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Oldemiro Baloi, e com atuações de grupos culturais Moçambicanos.