Dark Mode 114kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Hoje é um bom dia para mudar os seus hábitos. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Mulher banida de todos os parques nacionais dos Estados Unidos por vandalismo

A jovem de 23 anos foi condenada a 200 horas de serviço comunitário e banida dos parques nacionais norte-americanos durante dois anos.

10 fotos

Casey Nocket foi banida de todos os parques nacionais dos Estados Unidos da América. No total, Casey não pode entrar em cerca de 212 milhões de hectares de terras norte-americanas. O motivo? Em 2014, Casey, conhecida nas redes sociais como Creepythings, pintou caras com tinta acrílica em várias rochas protegidas com vistas panorâmicas em sete parques nacionais americanos. Junto às caras, colocou a assinatura com o nome que utiliza na internet. Para comprovar os crimes, publicou fotografias nas redes sociais dos seus ‘trabalhos’ (ver fotogaleria).

10 fotos

Como conta o The Telegraph, a remoção das pinturas foi uma tarefa bastante complicada para as autoridades, visto que os compostos químicos que são usados para remover tinta acrílica colocam as rochas em risco.

Os atos de vandalismo aconteceram em locais famosos do país, como os parques nacionais de Death Valley e de Yosemite.

A juíza Sheila K. Oberto condenou a jovem de 23 anos a 200 horas de serviço comunitário e baniu-a dos parques nacionais norte-americanos durante dois anos.

#NatureIsGay #creepytings #caseynocketart

Uma foto publicada por Casey Nocket (@theofficialcreepytings) a

A acusação afirmou que “a desfiguração de várias formações rochosas demonstrou uma falta de respeito pela lei e pelos tesouros nacionais partilhados”.

Num documento divulgado pela Departamento de Justiça americano, são elencados os sete locais danificados e é explicado que “uma audiência para determinar a indemnização que terá de ser paga por Casey Nocket acontecerá mais tarde”.

Charçes Cuvelier, responsável pelas autoridades do Serviço dos Parques Nacionais, considerou que “este caso ilustra o importante papel que o público pode desempenhar em identificar e partilhar provas de comportamento ilegal nos parques”.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.