O Ministério da Saúde angolano admitiu, esta terça-feira, em Luanda a insuficiência de vacinas BCG, contra a tuberculose, situação que se regista desde o início deste ano.

De acordo com o diretor nacional de saúde pública, Miguel de Oliveira, o país chegou a receber em quantidades mínimas a vacina BCG, que foram distribuídas para unidades hospitalares de todo o país, que se dedicam à vacinação.

“A vacina BCG está disponível em pequenas quantidades, há de facto alguma insuficiência da vacina, que vai ser superada dentro de 30 a 40 dias”, informou Miguel de Oliveira.

Em abril passado, o governador da província de Luanda, Higino Carneiro, havia informado a disponibilização de verbas específicas pelo Governo para a aquisição da vacina BCG, depois de queixas da falta da mesma há já três meses.

A vacina BCG é administrada aos recém-nascidos à sua nascença, protegendo-os contra a tuberculose.