O Twitter decidiu processar esta quinta-feira o Governo norte-americano. O processo, entregue na Califórnia, nos Estados Unidos, vem na sequência das tentativas do Departamento de Defesa Nacional em descobrir informações sobre a conta @ALT_uscis, no Twitter.

A conta anónima com publicações anti-Trump levou os agentes federais a pedir a identidade e os dados do utilizador como o seu IP, email associado à conta e número de telefone. No processo divulgado pelo site CNET, o Twitter recusou-se a divulgar esses dados justificando-se com a falta de argumentação do Governo.

“Revelar a conta teria um grave efeito sobre o discurso dessa conta em particular e sobre as muitas outras contas de «agência alternativa» que foram criadas para desacreditar as políticas governamentais”, pode ler-se no comunicado.

No processo, o Twitter acrescenta ainda que divulgar a identidade desta conta iria pôr em causa as outras muitas contas anti-Trump. O Twitter avançou que a conta pertence a trabalhadores dos serviços de imigração do Governo que pedem que a sua identidade não seja revelada sob o risco de perderem os empregos.

Esha Bhandari, o advogado que está a representar o Twitter, revelou à agência Reuters que o pedido de revelação da identidade do utilizador da conta do Twitter em questão foi fora do normal. “Não vimos nenhuma razão que o governo tivesse dado para procurar desmascarar a identidade deste utilizador”, comenta o advogado.

Segundo avança o CNET, nem o Twitter, nem o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos ou a Casa Branca fizeram comentários sobre o sucedido.

A conta @ALT_uscis tem mais de 60 mil seguidores e quase 9 mil tweets publicados. Após o anúncio da ação legal por parte do Twitter, a conta conseguiu mais 17 mil seguidores em 30 minutos.