Centenas de militares da GNR estão a protestar esta quarta-feira em Lisboa contra o novo estatuto profissional e “falta de resposta” do Governo às principais reivindicações da classe.

Organizada pela Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR) e Associação Nacional de Sargentos da Guarda (ANSG), a ação de protesto decorre entre o Largo do Carmo e o Ministério da Administração Interna, em Lisboa. Com bandeiras da APG e muitos dos militares a vestirem camisolas pretas, os participantes gritam palavras de ordem como “a luta continua, GNR está na rua” , “Costa escuta, a GNR está em luta” e “este estatuto e uma grande aberração”.

Alguns dos militares exibem também cartazes onde se lê “novo estatuto um passo atrás”, “somos polícias e militares de segunda e cidadãos de terceira”, ou “não aos cortes ilegais na reforma”. A falta de promoções, cortes no calculo das pensões de reforma e um défice de meios são outros dos motivos da ação de protesto, que vai terminar no Ministério com a entrega de um documento com as principais reivindicações.