O presidente dos EUA, Donald Trump, reuniu esta quarta-feira no Vaticano com o papa Francisco, no primeiro ato oficial da sua visita à Europa. O encontro privado durou cerca de 29 minutos e contou apenas com a presença de um intérprete na sala. À saída, o presidente norte-americano terá comentado que o encontro “foi uma honra” no momento em que ambos se cumprimentaram com um aperto de mãos.

No final, Trump recebeu do Papa uma pequena escultura de uma oliveira para simbolizar a paz. Foi-lhe ainda oferecida uma cópia assinada do discurso feito no último dia mundial da Paz e de três dos mais importantes textos publicados na Encíclica sobre a necessidade de proteção do ambiente. “Sim, irei ler”, reagiu Trump.

Em troca, Trump entregou ao Papa um conjunto de textos de Martin Luther King e despediu-se com uma frase curta: “Obrigado, não esquecerei o que me disse”.

Uma visita na qual foi acompanhado pela mulher, Melania, a filha mais velha, Ivanka, e o genro, Jared Kushner. De acordo com os relatos do Guardian, no momento em que se cumprimentaram, o papa, entre sorrisos, terá perguntado a Melania “o que deu a comer ao seu marido? Potica?”, referindo-se a um bolo típico esloveno. A primeira-dama reagiu com um sorriso tímido e perante o olhar atento do marido: “Pizza, sim.”

A Associated Press colocou imagens em bruto do encontro, nas redes sociais.Donald Trump partiu de Villa Taverna, residência do embaixador dos Estados Unidos, onde estava alojada a delegação norte-americana, e chegou ao Pátio de São Dâmaso do Vaticano às 8h20 (7h20 em Lisboa), sob fortes medidas de segurança e uma comitiva presidencial de meia centena de veículos.

O Presidente norte-americano chegou acompanhado pela mulher, Melania, a sua filha mais velha, Ivanka, e o genro, Jared Kushner, e ainda com parte do grupo de 12 pessoas que vai estar com o papa. Donald Trump entrou no estado do Vaticano através da porta do Perugino, depois de seguir pela Via da Conciliação.