O último álbum de Ed Sheeran, chamado ÷, é o campeão de vendas a nível mundial, tendo vendido 8 milhões de cópias em três meses. Mas o cantor está a “tentar perceber porque é que as pessoas não gostam de mim”, depois de ter recebido comentários abusivos no Twitter, o que o levou a eliminar a sua conta na rede social.

Ed Sheeran disse ao The Sun: “Sai completamente do Twitter. Vou lá e não há lá nada para além de pessoas a dizer coisas más”. A seguir acrescentou ainda: “Um comentário pode arruinar o teu dia. Tenho pensado muito no porquê das pessoas não gostarem de mim”.

O cantor acusou ainda os fãs de Lady Gaga de serem os autores dos comentários abusivos. Eles “leram uma entrevistas em que assumem que estava a falar sobre ela [Lady Gaga] e odeiam-me por isso. E não tinha nada a ver com ela”.

Mas a cantora Lady Gaga, publicou uma fotografia com Ed Sheeran, afastando uma possível ‘disucssão’ entre os dois e mostrando aos seus fãs que eles não tinham divergências.

O cantor é a celebridade mais recente a abandonar uma rede social por causa de comentários negativos.

Normani Kordei, das Fifth Harmony, anunciou em 2016 que ia abandonar o Twitter: “Fui vítima de cyberbullying racial com tweets e fotos tão degradantes e com tanto conteúdo racial que não consegui sujeitar-me mais a esse ódio”, explicou. Contudo, já voltou a utilizar a rede social.

Também a atriz Leslie Jones foi racialmente criticada depois da estreia do filme Ghostbusters. Em simultâneo, Lily Allen fez uma pausa no Twitter no início deste ano: “O meu feed estava cheio de publicações sexistas, racistas e contra as mulheres”.

Lena Dunham disse que o Twitter “não tinha espaço” para si, enquanto o comediante John Bishop escreveu: “Consigo lidar com tudo, mas quando se trata de um fórum livre para criticar abusivamente as pessoas que amo, é hora de me afastar”. Também o apresentador de televisão Rylan Clark-Neal disse que os comentários homofóbicos contra ele naquela rede social eram “ridículos” e “estavam a sair do controlo”.

A rede social já introduziu medidas para prevenir abusos, incluindo a chamada “pesquisa segura” que oculta tweets abusivos.