A bitcoin caiu na quarta-feira mais de 7% depois do presidente-executivo do JP Morgan, Jamie Dimon, ter avisado que a moeda digital era “uma fraude” e uma bolha à espera de rebentar. Esta quinta-feira de manhã, o preço unitário de uma bitcoin fixou-se nos 3.234,41 euros, mas ontem caiu abaixo dos 3.200 euros. Desde o início de setembro a moeda digital já desvalorizou mil dólares (cerca de 840 euros).

Na quarta-feira o presidente-executivo do banco norte-americano JP Morgan, Jamie Dimon, defendeu que a moeda era “uma fraude” e alertou que poderíamos estar perante outra bolha de especulação, semelhante à do mercado imobiliário de 2008 e à tech bubble de 2000.

Bitcoin “é uma fraude”, avisa presidente-executivo do JP Morgan

Dimon ainda comparou a bitcoin à especulação feita em volta do preços dos bolbos de tulipa, muito populares na Europa no século XVII.

Não podemos ter negócios em que as pessoas possam inventar uma moeda do ar e achar que quem investe nela é muito inteligente”, assegurou Jamie Dimon.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Depois destas declarações, o valor da bitcoin caiu mais de 7% quando em agosto tinha atingido o pico dos cinco mil dólares. É na China que a grande maioria das bitcoins é emitida, mas as autoridades proibiram que moedas digitais fossem criadas para angariar financiamento – considerado por muitos, como o Banco Popular da China, um método ilegal para captação de investimento.

Bitcoin. Preço derrapa com notícias de proibição na China

Muitos foram os casos nos últimos meses dos usos ilícitos desta unidade monetária. Os hackers por trás do vírus WannaCry pediram um resgate em bitcoins – tal como os hackers responsáveis pela fuga de informação da HBO.

A origem da moeda remonta a 2008 e foi inicialmente criada para que os utilizadores pudessem contornar os sistemas de transferência dos bancos, sem monitorização.

Bitcoins. O que são, como se produzem e para que servem as moedas virtuais que os “hackers” exigem como resgate