Walt Disney

Disney compra parte da 21st Century Fox por 44,5 mil milhões de euros

A Disney comprou parte da 21st Century Fox por 44,5 mil milhões de euros, com a Fox News e a Fox Sport a ficarem fora da proposta. Um dos filhos de Rupert Murdoch pode ficar à frente da Disney.

Getty Images

A Disney comprou parte da 21st Century Fox a Rupert Murdoch, por 44,5 mil milhões de euros. O acordo inclui o estúdio de Hollywood da 21st Century Fox, os canais Sky, Star, FX, National Geographic e a plataforma online Hulu. A Fox News e a Fox Sport ficam fora da proposta negocial, continuando sob o controlo da família Murdoch.

Não se sabe ao certo o que vai acontecer ao processo de compra de 61% do canal Sky pela 21st Century Fox, uma parte que Murdoch ainda não controla.

De acordo com a Financial Times, citado pelo jornal The Guardian, o filho de Rupert Murdoch, James Murdoch, pretende deixar a empresa da família: ou se junta à Disney, podendo até tornar-se no seu CEO, ou cria a sua própria empresa.

É uma separação de caminhos entre James e o seu pai”, afirmou Claire Enders, fundadora da Enders Analysis, acrescentando que se trata de “uma mudança extraordinária”.

Rupert Murdoch, de 86 anos, quer tornar-se um dos principais acionistas de uma Disney ampliada, que, dependendo do resultado final, se poderá tornar na companhia de entretenimento mais poderosa do mundo.

Rupert Murdoch e o filho mais velho, Lachlan, continuariam a dirigir a News Corp, a empresa que detém os jornais Sun, Times e Wall Street Journal e a editora Harper Collins. Os analistas especulam agora sobre se a longo prazo o que sobrar da 21st Century Fox se vai juntar à News Corp.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Finanças Públicas

Como evitar um 4º resgate? /premium

Paulo Trigo Pereira

Portugal necessita de mais doze anos (três legislaturas completas) de crescimento económico e de finanças públicas quase equilibradas para sair da zona de risco financeiro em que ainda se encontra.

Brexit

Boris Johnson /premium

João Marques de Almeida

Em Londres, só um louco ou um suicida é que defenderiam o acordo assinado com a União Europeia. Resta saber se os líderes europeus terão a lucidez de reconhecer o evidente: o acordo que existe morreu.

Ambiente

A onda verde na UE e os nacionalismos

Inês Pina

Se hoje reduzíssemos as emissões de CO2 a zero já não impedíamos a subida de dois graus centígrados. E estes “míseros” dois graus vão conduzir ao fim das calotas polares e à subida do nível do mar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)