O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, apelou esta sexta-feira a uma condução segura no período festivo do Natal e Ano Novo e lembrou que só este ano morreram nas estradas portuguesas mais de 460 pessoas.

Comparando com há 10 ou 20 anos, o número de vítimas nas estradas é mais baixo, “mas enquanto continuarmos a ter números como os que registámos até agora, mais de 460 vítimas mortais nas estradas desde janeiro até agora, não podemos deixar de querer fazer melhor. E isso passa pelo grande esforço das forças de segurança, mas também por um pequeno esforço de cada um de nós, de uma condução segura e em segurança”, disse o ministro.

Eduardo Cabrita esteve esta noite no Centro de Controlo e Informação de Tráfego das Infraestruturas de Portugal, junto à Ponte 25 de Abril, e assistiu a uma ação de fiscalização rodoviária da PSP.

O objetivo, disse aos jornalistas, foi sensibilizar para umas “festas seguras”, para que também na área rodoviária Portugal “continue a ser um país marcado por uma imagem de segurança”. Mas foi também mostrar-se solidário para com os elementos da PSP e da GNR que no fim de semana prolongado de Natal vão estar na estrada.

Há uma grande mobilização de meios. A PSP está a colocar neste período de Natal e ano novo mais de sete mil mulheres e homens na estrada, neste fim de semana são quase seis mil. A GNR também está a envolver cerca de 6.500 homens e mulheres”, disse Eduardo Cabrita, que na próxima sexta feira participa numa iniciativa idêntica à desta sexta-feir, mas junto da GNR.

Aos portugueses, o ministro apelou a uma condução segura, respeitando as regras de descanso, o planeamento atempado da viagem, o respeito pelas indicações das autoridades e a informação sobre eventuais problemas na estrada e rotas alternativas.

Numa reunião com responsáveis da PSP, o ministro inteirou-se sobre o que está a ser planeado para o período de Natal e fim de ano e ficou a saber que a polícia estará especialmente atenta à condução sob efeito de álcool e ao uso de telemóvel, que haverá uma vigilância acrescida nas principais vias e junto de zonas de diversão noturna e mais fiscalização, incidindo na velocidade, fadiga ou uso de telemóvel ou falta de cinto de segurança.

No período do Natal, disse a PSP ao ministro, vai haver mais fiscalização a propósito de atropelamentos e acidentes com motociclos, e no período da passagem de ano a fiscalização incidirá também na condução com uso de álcool e drogas.

Os últimos números sobre sinistralidade rodoviária divulgados neste dia pela PSP indicam que entre o dia 11 e este dia foram registados pela PSP 2.101 acidentes de viação, que resultaram em quatro mortos e 655 feridos, incluindo 27 graves. No ano passado, no mesmo período, tinha morrido uma pessoa.

Em duas semanas, a PSP deteve 134 condutores alcoolizados e 51 por falta de carta de condução, tendo verificado 1.060 infrações por excesso de velocidade. A operação “Polícia Sempre Presente — Festas Seguras 2017” termina a 2 de janeiro.