O SoftBank conseguiu comprar 15% da Uber com um “desconto acentuado” de 30%. A operação fez com que o valor a que estava avaliada a empresa passasse para 48 mil milhões de dólares (menos 20 mil milhões da avaliação atual), avança o The Wall Street Journal.

Em outubro, o conselho de administração da Uber já tinha aprovado a proposta de investimento do SoftBank, que, segundo a Bloomberg, iria de mil milhões a 1,25 mil milhões de dólares. Além desta operação, o SoftBank tinha anunciado que queria comprar ações a outros investidores, aumentando a quota acionista de 14% para 17 por cento. A entrada do grupo japonês na Uber vai ter outras consequências, como a limitação dos poderes do fundador e ex-presidente Travis Kalanick.

Softbank vai investir mais de mil milhões na Uber. Kalanick cada vez com menos poder

A Uber vai agora contar com mais seis administradores, segundo o Wall Street Journal, e dois serão membros do SoftBank.O s direitos de voto também vão ser alargados e prevê-se que o capital sirva para a Uber continuar a sua estratégia de expansão e que seja admitida em bolsa (faça um IPO) em 2019.

A Uber tem estado sob várias polémicas desde o início do ano, quando a ex-engenheira da empresa, Susan Fowler, denunciou várias situações de assédio sexual num blogue. A estas queixas seguiram-se outras, que descreviam uma cultura de trabalho agressiva e sexista e juntou-se um processo judicial interposto pela Waymo, que acusava um funcionário da Uber de ter roubado dados confidenciais sobre a empresa. O ambiente levou o conselho de administração a afastar Travis Kalanick da liderança, que foi substituído em agosto por Dara Khosrowshahi.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os problemas não se ficaram por aí. Pouco tempo depois de Dara ter assumido o controlo da empresa, a Uber perdeu a renovação da licença para operar em Londres, soube-se que um ciberataque à Uber pôs a descoberto os dados de 57 milhões de pessoas, em outubro de 2016 (sob a liderança de Travis Kalanick). A empresa na altura optou por silenciar os hackers com 100 mil dólares, em vez de reportar o que aconteceu às autoridades.Já este mês, o Tribunal da Justiça da União Europeia concluiu que a Uber é uma empresa de transportes e que tem de seguir com a legislação em vigor para o setor.

Uber. O que muda com a decisão do tribunal europeu em Portugal?