O ator Michael Douglas antecipou-se à onda de acusações de assédio sexual em Hollywood e deu uma entrevista preventiva ao site Deadline.

Michael Douglas revelou que o site The Hollywood Reporter está a preparar uma reportagem sobre uma antiga empregada sua que o acusa de se masturbar à frente dela, de usar linguagem imprópria e impedir que esta conseguisse qualquer outro emprego na indústria cinematográfica. O marido da também atriz Catherine Zeta-Jones nega a “alegação de natureza sexual” e de “retaliação”; ainda assim, admite o uso daquilo a que chama “linguagem colorida”.

O ator de “Wall Street” contou que a mulher que o acusa trabalhou consigo há aproximadamente 32 anos e foi despedida “pelo trabalho que estava a fazer”. “Era uma senhora que estava integrada no departamento de desenvolvimento da minha empresa e não tivemos grandes resultados durante o tempo em que ela lá esteve, por isso simplesmente segui em frente”, acrescentou Douglas.

O ator explicou que foi abordado pelo The Hollywood Reporter em dezembro, para comentar a investigação, e foi nessa altura que sentiu “a necessidade de se antecipar”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Podia ter escolhido esperar que uma história saísse, uma história em que os jornais e as revistas claramente vão pegar, e eu tinha de ficar ali a tentar defender-me. Ou, então, tentar partilhar com o público, antecipar-me, os meus pensamentos e preocupações”, afirmou o ator na entrevista à Deadline.

Michael Douglas, de 73 anos, é casado com Catherine Zeta-Jones desde 2000 e juntos têm dois filhos. É pai do também ator Cameron Douglas, nascido durante o primeiro casamento.