A revista musical inglesa NME anunciou que a edição que será divulgada na próxima sexta-feira, 9 de março, será a última em formato físico porque, explica o The Independent, quer apostar mais na área do digital.

A história do New Musical Express começou em 1952 e ao longo de 66 anos cimentou-se como uma das mais conceituadas publicações sobre música.

Num passado recente, a 18 de setembro de 2015, a publicação foi notícia por ter passado a ser de distribuição gratuita — Rihanna foi a capa dessa primeira edição. Desde então passou a ser distribuída todas as semanas, a todos os utilizadores de transportes públicos e estudantes.

A Time Inc. confirmou a notícia afirmando que: “A publicação gratuita e semanal NME vai deixar de ser publicada. O número desta sexta-feira será o último.”

Paul Cheal, o director de conteúdos musicais da Time Inc., acrescentou ainda que: “A NME é uma das mais icónicas marcas de media do Reino Unido e a mudança para a entrega gratuita ajudou a fazer crescer ainda mais o público da NME.com.”

“Ao mesmo tempo também enfrentamos custos de produção que não param de aumentar, enquanto o mercado da publicidade continua a diminuir. Infelizmente chegámos a um ponto em que já não é economicamente viável continuar o projeto. É na área do digital que vamos concentrar todos os nossos esforços de modo a garantir a continuação do crescimento da marca”, conclui.

Ao mencionar a “área do digital”, o representante da empresa está a falar do website, do serviço de venda de bilhetes, um novo espaço comercial de música (chamado de PledgeMusic) e ainda duas novas estações de radio.

Keith Walker, o actual director do digital da NME, afirmou: “Com estes novos desenvolvimentos estamos a dar ao consumidor mais daquilo que eles exigem de nós. Ao tornar as plataformas digitais o nosso core business podemos acelerar o impressionante crescimento que temos testemunhado nos últimos tempos”.