O bispo português D. Carlos Azevedo, delegado do Conselho Pontifício para a Cultura, diz que a nomeação do bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto, para cardeal não está relacionada com Fátima, mas sim com o contacto direto que o Papa Francisco teve com o bispo e com as suas posições relativas à reforma da Igreja Católica.

“O Papa escolhe pessoas dentro da perspetiva de Igreja que ele tem, e portanto são muito pessoas escolhidas pessoalmente por ele. Não tem a razão de ser de Portugal e não tem a razão de ser de Fátima, até me atrevo a dizer”, afirmou D. Carlos Azevedo ao Observador, esta quarta-feira em Roma.

Para o bispo português, que trabalha na Cúria Romana como delegado para os bens culturais da Igreja, a escolha do Papa recaiu sobre D. António porque o bispo de Leiria-Fátima “é um homem que se identifica com a reforma da Igreja que é preciso fazer e portanto é alguém que pode ser membro ativo dessa mudança e dessa reforma da Igreja”.

“É uma decisão pessoal”, sublinhou D. Carlos Azevedo, que foi colega de D. António Marto na equipa de formadores do seminário do Porto. Questionado sobre a possibilidade de ler a nomeação como forma de destacar a importância de Fátima, o bispo considerou que “o Papa não é muito sensível a essa perspetiva” e que essa é uma forma “bairrista” de analisar a escolha de Francisco.

“O Papa é Papa da Igreja universal, e nós às vezes temos uma visão muito nacionalista da Igreja. É preciso ter uma visão universal da Igreja. Ele é Papa de toda a Igreja”, afirmou o bispo, destacando que o Papa Francisco “não quer valorizar este aspeto ou aquele, privilegiar” um ou outro local de culto. “Mas quando vai ao santuário, ele próprio manifesta a sua devoção e a sua relação pessoal com Maria”, lembrou, garantindo que o Papa Francisco “é muito sensível do ponto de vista da religiosidade popular”.

Ainda assim, D. Carlos Azevedo reconhece que “o Santuário de Fátima tem tido uma projeção internacional acima de qualquer outro e há que perceber — e as pessoas que rodeiam o Papa ajudam-no a perceber — a importância que tem não só para Portugal mas para todo o mundo”.

O bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto, foi nomeado cardeal pelo Papa Francisco e vai receber as insígnias esta quinta-feira, num consistório ordinário em Roma, juntamente com outros 14 novos cardeais.