A CSU, “partido-irmão” da CDU de Angela Merkel, obteve 35,5% dos votos na eleição regional na Baviera, este domingo, segundo uma sondagem à boca das urnas da televisão ARD. Se a votação se confirmar, este será o pior resultado desde 1950, com o partido a perder a maioria absoluta no estado mais rico da Alemanha.

Em segundo lugar, com um resultado melhor do que o esperado, ficou o partido dos Verdes, com 18,5% dos votos — quase mais 10 pontos percentuais do que na última eleição. Em terceiro lugar ficou o partido dos Eleitores Livres (FW), que pende para a direita liberal do espectro político, e em quarto ficou a Alternativa para a Alemanha (o AfD), que obteve 11% dos votos e entrou no parlamento regional pela primeira vez.

O SPD, parceiro de Merkel no governo federal, não foi além do quinto lugar na votação.

O resultado está a ser lido como mais um golpe para os partidos do centro. “As perdas para os dois partidos [CSU e SPD] vão além daquilo que é o castigo normal nas eleições regionais aos partidos que estão em Berlim”, comenta Holger Schmieding, economista do Berenberg Bank em nota enviada aos investidores. “Tanto um como outro pagaram, nestas eleições, o preço de estarem a participar numa coligação em Berlim de forma inconstante e disruptiva”, acrescenta o especialista.

Após este resultado, “inevitavelmente vão gerar-se questões em torno da estabilidade da coligação CDU-CSU-SPD, em Berlim, bem como o futuro de Merkel na liderança do governo”, acredita Holger Schmieding.