França

Camionista português detido em França depois de atropelar “colete amarelo”

O camionista português, com cerca de 50 anos, atropelou um motard que estava a participar na marcha lenta dos "coletes amarelos". A polícia francesa está a investigar o caso.

AFP/Getty Images

Um camionista português foi detido este domingo em Toulon, na França, depois de ter atropelado um motard que participava numa marcha lenta organizada pelos “coletes amarelos”, um conjunto de camionistas que está em protesto contra o aumento dos combustíveis e a diminuição do poder de compra no país.

Segundo o Correio da Manhã, o camionista chamava-se Paulo e tinha cerca de 50 anos. Depois de ter atropelado o motociclista, o português foi intercetado numa estação de serviço, localizado a uns quilómetros à frente do local do atropelamento. Nos vídeos divulgados na Internet, e divulgados pelo jornal, é possível observar-se um grupo de motards a circular na estrada, quando um camião passa por eles. Apesar de não se ver o momento do atropelamento, o motard que estava a filmar mostrou a vítima deitada no chão no meio da estrada e parou para a auxiliar, juntamente com várias pessoas. A detenção foi também filmada por pessoas que estavam no local.

motard sofreu alguns ferimentos, mas está fora de perigo. Terá sido o colete amarelo a meter-se à frente do camião, com o objetivo de parar a viatura, estando a polícia francesa já a investigar o caso.

Segundo a Associação de Transportes Públicos Rodoviários de Mercadorias, mais de 10 mil camionistas portugueses estão a ser afetados pelos protestos dos “coletes amarelos” em França, ficando paralisados na estrada. Esta segunda-feira, a procuradoria de Paris confirmou a detenção de 28 “coletes amarelos” e anunciou que 47 das 103 pessoas detidas nos incidentes de sábado na capital francesa já foram ouvidas por juízes.

Os “coletes amarelos” são um movimento cívico à margem de partidos e sindicatos, criado nas redes sociais e alimentado pelo descontentamento da classe média-baixa, designadamente pelos aumentos dos combustíveis.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Investimento público

A tragédia de Pedro Marques

Inês Domingos

Com um quadro Centeno confessou inadvertidamente como foi um dos principais responsáveis pelo desastre de atuação de Pedro Marques, sendo que este também não foi capaz de aplicar os fundos de Bruxelas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)