França

Presidente francês aumenta mobilização de militares depois de atentado em Estrasburgo

Emmanuel Macron decidiu "aumentar a mobilização dos militares" no âmbito da operação Sentinela, um dia após o atentado que fez pelo menos dois mortos em Estrasburgo, .

ETIENNE LAURENT / POOL/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O Presidente francês, Emmanuel Macron, decidiu “aumentar a mobilização dos militares” no âmbito da operação Sentinela, um dia após o atentado que fez pelo menos dois mortos em Estrasburgo, anunciou o primeiro-ministro francês, Edouard Philippe.

“São 500 militares que, a partir de hoje, vão completar o dispositivo” Sentinela e “1.300 que, nos próximos dias, irão juntar-se aos já mobilizados” para manter seguros os espaços e “garantir a segurança dos franceses”, declarou Philippe, numa breve comunicação feita no Ministério do Interior.

[Veja no vídeo a homenagem que cinco mil adeptos franceses fizeram às vítimas do tiroteio]

A alguns dias dos festejos de fim do ano, “o objetivo é permitir a segurança dos espaços onde se concentrem pessoas”, prosseguiu o chefe do executivo francês, referindo-se, “nomeadamente, aos mercados de Natal um pouco por toda a França”.

Na terça-feira à noite, um homem abriu fogo no mercado de Natal de Estrasburgo, fazendo dois mortos, um ferido em morte cerebral e mais 12 feridos, cinco dos quais em estado crítico, depois de gritar “Allah Akbar” (“Alá é grande”).

Após uma troca de tiros com um soldado, conseguiu escapar e continuou hoje a ser ativamente procurado.

A polícia nacional emitiu um apelo a testemunhas para localizar o autor do atentado no mercado de Natal de Estrasburgo, Cherif Chekatt.

“Indivíduo perigoso, não intervenha sozinho”, adverte a polícia nacional na sua conta da rede social Twitter, descrevendo o fugitivo como um indivíduo de 1,80 metros e “constituição normal” e apelando a qualquer pessoa na posse “de informações que permitam localizá-lo” para marcar o número 197.

O primeiro-ministro francês assegurou “a total determinação do Governo para que este indivíduo seja detido e julgado nas melhores condições e o mais rapidamente possível”.

As autoridades desencadearam em todo o país, na terça-feira à noite, o nível de “emergência de atentado”, o mais elevado do plano ‘Vigipirate’, o que permite “a mobilização excecional de meios” durante o período de caça ao homem.

Há 7.000 militares destacados em permanência no âmbito do dispositivo Sentinela e mais 3.000 são mobilizáveis a qualquer momento para reforçar pontualmente a proteção.

Após a vaga de atentados ‘jihadistas’ de 2015 e 2016, o plano ‘Vigipirate’ foi alterado, criando três níveis “adaptados à ameaça: o nível de “vigilância”, o nível de “segurança reforçada — risco de atentado” e o nível “emergência de atentado”.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
IAVE

Errare humanum est… exceto para o IAVE!

Luís Filipe Santos

É grave tal atitude e incompreensível este silêncio do IAVE. Efetivamente, o que sempre se escreveu nos anos anteriores neste contexto foi o que consta na Informação-Prova de História A para 2018.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)