As 200.000 embalagens disponibilizadas pelos CTT para ajuda solidária a Moçambique esgotaram na segunda-feira, ficando assim concluída a campanha de recolha de roupa lançada nesse mesmo dia, anunciou esta terça-feira a empresa.

O objetivo de recolha de donativos, definido em conjunto com os Correios de Moçambique, ficou cumprido em menos de 24 horas, afirmou a empresa em comunicado.

As embalagens para o envio de bens destinados às vítimas do ciclone Idai, foram disponibilizadas à população nas lojas próprias da rede CTT, num total de 538 pontos, disse à Lusa fonte da empresa. De acordo com a mesma fonte, está agora a ser agendado o envio dos artigos doados, sendo que uma parte seguirá de avião e outra, menos urgente, será remetida por barco, em contentores.

No documento, a empresa recordou que, com a passagem do ciclone Idai, milhares de moçambicanos foram afetados pelas cheias. “A adesão dos portugueses à iniciativa [de solidariedade] foi estrondosa”, lê-se no documento.

As embalagens serão recebidas no local pela Correios de Moçambique, que as fará chegar às zonas mais afetadas. O número de vítimas mortais do ciclone Idai e das cheias que se seguiram no centro de Moçambique, este mês, subiu para 468, anunciaram as autoridades moçambicanas.

@ AFP/Getty Images

Avião de ajuda humanitária parte amanhã de Figo Maduro

Esta quarta-feira, 27 de março, vai partir do aeródromo militar de Figo Maduro rumo à Beira, em Moçambique, um avião de “transporte militar estratégico da Força Aérea espanhola” foi cedido às Forças Armadas Portuguesas, que irá transportar material de apoio humanitário para Moçambique.

O avião transportará, mais especificamente, dez toneladas de “material de apoio militar de emergência das Forças Armadas Portuguesas” e “mais de seis toneladas” de material de “ajuda humanitária no âmbito do apoio da ANPC, GNR e Cruz Vermelha”, reveleram as Forças Armadas Portuguesas, em comunicado oficial.

[“Pedem o triplo por um helicóptero”. ONG denuncia aproveitamento da tragédia em Moçambique]

O avião levará ainda até à Beira “vacinas para sarampo, tifóide e cólera, bem como 600 doses de cada uma das seis vacinas identificadas como prioritárias e disponibilizadas pelo Hospital das Forças Armadas e pelo Laboratório Militar do Exército”, refere o comunicado.

As vacinas serão administradas a “já a partir de sexta-feira pela equipa médica do Exército português à comunidade portuguesa residente”. O “excedente” será administrado “à população moçambicana”.

A aeronave espanhola foi disponibilizada “para apoio a Portugal, no seguimento de um pedido efetuado, durante o fim-de-semana, pelo Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA) às Forças Armadas de Espanha”, referem as Forçadas Armadas portuguesas.

Embaixada de Israel em Portugal já angariou 50.000 euros

Também a Embaixada de Israel em Portugal organizou “uma campanha de recolha de donativos para as vítimas do ciclone Idai”, que está a decorrer, anunciou a embaixada em comunicado. Ao todo, já foram angariados “50 mil euros”, que serão “de imediato” transferidos para a Cáritas Portugal, revelou ainda a embaixada israelita.

[Exército português apoia aldeias isoladas de Moçambique]

No comunicado, a embaixada israelita refere que o país “não se pode desviar nunca do imperativo de ser solidário com os outros, neste caso com o povo de Moçambique. O embaixador informou ainda o presidente da Cáritas de que uma outra importante ajuda de Israel está a caminho de Moçambique. Essa ajuda consiste em equipas de emergência constituídas por médicos, paramédicos e assistentes sociais, alguns dos quais já se encontram no terreno. Transportam mercadorias como filtros de água, fabricados em Israel, com o objetivo de transformar as águas poluentes em água potável para as comunicades afetas”, lê-se no comunicado.

@ AFP/Getty Images