Como todos os supercarros da Bugatti, também este é deliciosamente atraente. Uma obra de arte em matéria de design, destinado a homenagear o EB 110 Super Sport, o modelo fabricado pela Bugatti quando esta era pertença não do Grupo Volkswagen, como acontece agora, mas sim de um grupo de accionistas liderados por Romano Artioli. Entre 1991 e 1995 foram construídas 139 unidades, todas elas a usufruir dos serviços de uma caixa manual de seis velocidades acoplada a um sistema de transmissão integral. O motor era um V12 com 3,5 litros de capacidade e que, soprado por quatro turbocompressores, atingia 612 cv na versão mais possante, a Super Sport.

9 fotos

Denominado EB 110 Super Sport Hommage, também conhecido por Centodieci, o novo Bugatti será uma versão limitada (fala-se em 10 unidades) concebida sobre a base do Chiron. Terá um preço de vários milhões de euros (provavelmente entre 8 e 9 milhões), antes de impostos, decididamente mais do que os 2,7 milhões de euros exigidos por um Chiron normal.

Sob a carroçaria tudo permanece igual, ou seja, o Centodieci mantém o motor W16 com quatro turbocompressores e 1.500 cv, que passam para o asfalto com a ajuda de um sistema de tracção integral. É na carroçaria que está a diferença, que apresenta elementos distintos à frente, atrás e nas laterais, com soluções que fazem recordar o EB 110 imaginado pela equipa de Artioli. E se o EB 110 Super Sport de 1992 era capaz de atingir 355 km/h e os 100 km/h em 3,2 segundos, o novo Super Sport Centodieci promete 420 km/h e necessita de apenas 2,4 segundos para superar os primeiros 100 km/h. Delicie-se com as fotos do deslumbrante superdesportivo.