Hunter Biden, filho de Joe Biden, antigo vice-presidente dos EUA e candidato na corrida democrata à Casa Branca, afirmou que vai deixar o cargo no conselho de administração que tem no fundo de investimento chinês BHR, noticia o The Washington Post. Num comunicado feito pelo seu advogado, Hunter diz também que vai deixar os cargos que ocupa em empresas estrangeiras se o pai for eleito presidente.

Hunter assume o seguinte compromisso: sob uma administração Biden, Hunter cumprirá prontamente todas e quaisquer diretrizes ou padrões que um Presidente Biden possa emitir que produzam conflitos de interesse alegados ou a aparência de tais conflitos, incluindo restrições relacionadas a interesses comerciais no exterior. De qualquer forma, Hunter concordará em não servir em conselhos de, ou trabalhar em nome de empresas estrangeiras”, lê-se no comunicado.

Esta quinta-feira, Donald Trump, presidente dos EUA, voltou aos comícios em Minneapolis e atacou o “Sleepy Joe Biden”, nome jocoso que utiliza para fazer troça do antigo vice-presidente de Barack Obama. Num ataque cerrado ao democrata, disse que Biden “nunca foi considerado esperto, nunca foi considerado um bom senador, só foi um bom vice-presidente porque sabia como beijar o rabo do Barack Obama”. Além disso, pôs as cerca de 20 mil pessoas no evento a entoar o cântico ““Prendam-no! Prendam-no!” relativamente a Hunter Biden. Tudo isto por causa de um alegado caso de desvio de fundos na Ucrânia, através de uma empresa ucraniana com a qual o filho de Biden trabalhou. Este caso tem sido polémico e, neste ano, terá levado Trump a chantagear o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, para retomar a investigação contra Hunter.

Sobre a alegada conversa com o presidente ucraniano, no qual o processo de impeachment que Donald Trump enfrenta se baseia, defendeu que foi “uma chamada totalmente apropriada e bonita”. E prometeu: “Estas pessoas são doentes! Os democratas estão numa cruzada para destruir a nossa democracia. É isso que está a acontecer. Nunca deixaremos que aconteça. Vamos derrotá-los. A tentativa descarada dos democratas para derrubarem o nosso governo produzirá uma reação nas urnas nunca antes vista na história deste país”.

No comício, Trump não poupou críticas a Hunter: “Não sabe nada sobre energia. Não sabe nada sobre a China. Francamente, não sabe nada de nada”. “Hunter, você é um falhado”, disse ainda o Presidente. Depois, falou sobre Hunter não ter uma vida pública ativa: “O que é que aconteceu ao Hunter? Onde diabos está? . . . Tenho uma ideia para uma nova t-shirt. . . Onde está o Hunter?”.

Joe Biden reagiu no Twitter às acusações do líder norte-americano dizendo: “Deixem-me esclarecer algo ao presidente Trump: não vou a lugar nenhum. Não vai destruir-me. E não vai destruir a minha família. Não me importo com o quão sujos vão ficar os ataques”. Joe Biden, enquanto foi vice-presidente do EUA, pressionou a Ucrânia para demitir o procurador-geral do país, Viktor Shokin, por afirmar que este não estava a tratar devidamente casos de corrupção.