Um cidadão alemão morreu e uma argentina ficou ferida após a explosão, na terça-feira, de uma mina antipessoal quando viajavam de motociclo no nordeste de Myanmar (antiga Birmânia), segundo fontes policiais.

O cidadão alemão de 40 anos e a argentina de 39 anos sofreram o acidente na terça-feira no estado de Shan, onde em algumas áreas existem minas antipessoais devido ao conflito entre o exército birmanês e guerrilheiros de vários grupos étnicos.

A organização não governamental Charity Without Borders disse à agência espanhola Efe que a mulher sofreu “ferimentos leves” na perna e no braço e foi internada no hospital Hsipaw, no noroeste de Shan.

Myanmar, que não é signatário do tratado internacional contra as minas antipessoais, é o único país cujo exército usou este tipo de arma em 2018, de acordo com um relatório publicado na semana passada pela ONG Landmine Report.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As autoridades birmanesas enfrentam vários conflitos com guerrilheiros de várias minorias étnicas nos estados periféricos de Shan, Kachin (no norte) e Arakan (no oeste, também conhecido como Rakáin).

O relatório da Landmine Report observou que algumas organizações armadas não estatais também usaram minas antipessoais no país, onde o número de mortes e feridos por este tipo de explosivo subiu para 430 no ano passado.