Os mais recentes números referentes a vendas globais apontam para uma performance particularmente boa para o Jaguar I-Pace, o único modelo 100% eléctrico da marca britânica. O SUV consegue ainda ser aquele cuja procura sobe, enquanto os restantes vêem as vendas caírem.

Os dados das vendas globais de Outubro confirmaram que o I-Pace vendeu mais 9,3% face a período idêntico de 2018, transaccionando 1.309 unidades. Ora, como no 10º mês de 2019 a Jaguar comercializou apenas 10.606 veículos, menos 23% do que em 2018, a percentagem do eléctrico nas vendas totais da marca aumentou para 12,3%.

Se este bom desempenho do SUV a bateria do construtor inglês explica que a marca tenha decidido avançar rapidamente para outros modelos exclusivamente eléctricos, a começar já pelo próximo XJ, a verdade é que o I-Pace pode não ser o modelo mais rentável para a Jaguar. Tudo porque a empresa preferiu experimentar o mercado dos eléctricos antes de se comprometer com alterações de fábricas e linhas de produção, entregando a fabricação do seu primeiro eléctrico aos austríacos da Magna, que já produzem modelos como o BMW Z4 e o Toyota Supra.

No conjunto do ano, o I-Pace já vendeu 14.052 unidades, não devendo alcançar, mesmo somando os dois meses que faltam nestes dados até final do ano, a meta dos 20.000 veículos, o objectivo que tinha como produção anual.