O mundo não esperava nada menos do que uma grande festa para assinalar a despedida de Jean Paul Gaultier da alta-costura. Afinal, falamos do homem que marcou os anos 90 e que tornou peças como o cone bra em ícones culturais impossíveis de apagar dos anais do século XX. Depois de ter anunciado a sua retirada, na última sexta-feira, o criador francês de 67 anos (e com cinco décadas de carreira) não defraudou expectativas.

Naquele que foi o seu 50º desfile de alta-costura, esta quarta-feira à noite, encheu o Théâtre du Châtelet com algumas das mais relevantes personalidades do mundo da moda, de Anna Wintour e Suzy Menkes a Pierre Cardin (com quem Gaultier deu os primeiros passos na moda) e Christian Louboutin (que assinou parte dos sapatos), passando pela ex-manequim e antiga primeira-dama francesa Carla Bruni e por Eva Herzigova.

Dita Von Teese no desfile de Jean Paul Gaultier © Pascal Le Segretain/Getty Images

O ambiente não foi o de um desfile convencional, embora em cima da passerelle Gaultier tenha apresentado cerca de 250 coordenados, intervalados com momentos de dança, música e performance. Amanda Lear, Rossy de Palma e Boy George abrilhantaram o alinhamento. O cantor britânico foi o responsável pelo início, mas também pelo final apoteótico do espetáculo. Com um caixão aberto por Karlie Kloss e de onde saiu a primeira modelo, ao som “Back to Black” de Amy Winehouse, arrancou a celebração que durou quase uma hora.

No que toca a manequins, um encontro de gerações com musas de longa data do mestre francês — entre elas, Coco Rocha (responsável por um dos números de dança da noite), Irina Shayk, Dita Von Teese, Erin O’Connor, Anna Cleveland, Joan Smalls, Farida Khelfa, Karlie Kloss, Karen Elson e Cindy Bruna — a desfilarem ao lado de novos rostos da moda, como as irmãs Hadid, Tess McMillan, Winnie Harlow e Paris Jackson.

O grande final do desfile, ao som de Boy George © Pascal Le Segretain/Getty Images

Jean Paul Gaultier aproveitou a noite para celebrar a sua própria história. Seios em bico, blazers e camisas coladas pregados sobre vestidos, bustiers, folies bergère, marinheiros, silhuetas dramáticas e um streetwear de atelier fizeram do desfile uma viagem no tempo, onde as peças e os pormenores datados foram mais do que bem-vindos.

O final teve tanto tanto de épico como de emotivo. Na escadaria montada no palco, a equipa do designer juntou-se aos manequins (o casting também incluiu homens). Boy George voltou para a derradeira celebração. Jean Paul Gaultier agradeceu, foi erguido no ar, enquanto a plateia o aplaudiu fervorosamente. No centro do palco, houve lágrimas e gritos de alegria.

Com 97 anos, Pierre Cardin assistiu ao desfile © Bertrand Rindoff Petroff/Getty Images

O designer francês despediu-se assim da alta-costura, depois de há cinco anos ter abdicado também das coleções de pronto-a-vestir. Com uma perfumaria lucrativa, nas mãos do grupo Puig, resta saber se a história do nome Jean Paul Gaultier continuará a ser escrita no mundo da moda.

Na fotogaleria, veja as imagens dos momentos que marcaram o último desfile de alta-costura de Jean Paul Gaultier.