A Renault acaba de informar que a produção da fábrica de Cacia será suspensa a partir de amanhã, dia 18 de Março. A medida, com efeito a partir daquele que seria o primeiro turno (06h00) de quarta-feira, já foi comunicada às organizações sindicais.

Em nota enviada à imprensa, a marca francesa justifica a decisão de mandar para casa os 1400 funcionários que trabalham na fábrica portuguesa como medida preventiva, “face à actual situação de disseminação do coronavírus e tendo como prioridade máxima a segurança dos seus trabalhadores”.

Cacia, já distinguida como uma das melhores fábricas de caixas de velocidade no mundo, produz anualmente para cima de 700 mil transmissões, a que soma uma quantidade superior (em volume) de outras peças, como por exemplo bombas de água. Lacunas no aprovisionamento de componentes, por um lado, e o risco de contágio pelo novo coronavírus, por outro, ditaram o seu encerramento temporário, sem que seja avançada uma data para retomar a actividade “normal”. Ao que o Observador apurou, a medida terá sido acordada com os trabalhadores até ao final do mês, período findo o qual é de antecipar nova negociação face à evolução do surto em Portugal.

“Acreditamos que a actividade comercial será rapidamente retomada depois da crise e as medidas apropriadas serão implementadas em conjunto com os representantes dos trabalhadores, para responder a um eventual aumento da procura”, conclui a Renault, sem deixar de elogiar “o sentido de responsabilidade manifestado por todos os colaboradores neste período difícil”.