O Presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou esta terça-feira que quer “abrir de novo” o país até o domingo de Páscoa (12 de abril). As declarações foram feitas à Fox News, como noticia a CNBC.

Vamos abrir este país incrível. Porque temos que fazer isso. Adoraria tê-lo aberto até à Páscoa”, afirmou o líder norte-americano.

Nos EUA, há cerca de 46.500 casos confirmados do novo coronavírus. Os Estados Unidos têm fechado fronteiras e cancelado voos com países de todo o mundo numa altura em que os números estão a subir em vários estados. Atualmente, o epicentro do vírus no país é no estado de Nova Iorque.

A propagação do novo coronavírus está a avançar a passo rápido neste estado e na cidade com o mesmo nome, avança o The New York Times. De acordo com o governador Andrew M. Cuomo, o número de casos tem duplicado a cada três dias contando-se esta terça-feira mais de 25 mil casos no estado.

“Não achatámos a curva. A curva está é a aumentar”, assume o o político norte-americano. De acordo com as previsões, demorar ainda duas a três semanas até o pico da pandemia ser alcançado no estado.

À medida que o número de casos aumenta, o número de pessoas em camas hospitalares aumenta, o número de pessoas que precisam de uma cama de cuidados intensivos e ventiladores sobem e não podemos lidar com essa curva crescente”, assume Cuomo.

“O que faremos com 400 ventiladores quando precisamos de 30 mil ventiladores?”, questiona Cuomo sobre o número desta máquinas que o executivo de Donald Trump, Presidente dos EUA, alocou ao estado. Segundo as declarações de Cuomo, podem ser precisas mais de 40 mil camas de cuidados intensivos.

“Somos o vosso futuro”, diz governador de Nova Iorque aos outros estados

Na mesma conferência de imprensa, Cuomo deixou ainda um aviso aos outros estados dos EUA: “Olhem para nós hoje”, avisou. “Onde estamos hoje, estarão daqui a quatro semanas ou cinco semanas ou seis semanas. Somos o vosso futuro”, alertou.

Esta semana, a polícia da cidade de Nova Iorque começou a executar as regras de distanciamento social que têm sido impostas por todo o Estado. O presidente da Câmara da cidade que tem quase 9 milhões de habitantes (o estado tem cerca de 19,5 milhões), Bil de Blasio, afirma: “Temos que manter as pessoas separadas”.

Atualmente, a cidade de Nova Iorque já é considerada a “capital do coronavírus” nos EUA. Devido à densidade populacional urbana da metrópole, o vírus está a propagar-se mais rapidamente do que noutros do país.

Esta segunda-feira, Andrew Cuomo adiantava que estado de Nova Iorque tinnha capacidade para testar mais de 16 mil pessoas por dia — mais do que qualquer outro estado norte-americano. O governador revelou também que já pediu à administração da cidade de Nova Iorque, liderada pelo democrata Bill de Blasio, um plano para controlar e reduzir a densidade de pessoas nas ruas e regular a aglomeração de população, principalmente nos parques. Atualmente, os principais serviços e restaurantes foram obrigados a fechar.

“As minhas medidas de controlo da densidade populacional não foram suficientes, isso é claro. Este fim de semana, nos parques em Brooklyn, em Manhattan, parecia um sábado normal, um sábado normal de sol”, disse Cuomo esta segunda-feira, sublinhando que Nova Iorque é a cidade mais fustigada pelo coronavírus em todo o estado, com 12.305 casos confirmados esta segunda-feira. O governador indicou ainda que está a trabalhar num plano para relançar a economia, garantindo que é “insustentável” governar o estado ou o país “com a economia fechada”.

*Notícia atualizada às 18h06 com declarações de Donald Trump.