Um lar em Loures junta-se à lista de instituições de terceira idade que se tornaram focos de infeção e de propagação entre idosos. Com 23 casos confirmados, segundo a SIC, esta instituição tem vivido dias mais difíceis nas últimas duas semanas, a partir do momento em que foram confirmados casos de pessoas com Covid-19.

Até esta terça-feira, há duas vítimas mortais a registar — idosos — que aí viviam, numa residência onde as idades mais comuns entre os habitantes variam entre os 80 e os 90 anos e com vários residentes que já padecem de outras doenças. Sabe-se ainda que do grupo de infetados pelo menos nove são funcionários.

De acordo com a mesma estação de televisão, tem havido ações regulares de descontaminação, com a decisão das autoridades de saúde de não evacuar a instituição. Os residentes infetados permanecem em quartos de isolamento.

Ainda nesta terça-feira, em conferência de imprensa, o secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, avançou que havia cerca de “300 estruturas residenciais para pessoas idosas (ERPIs) com casos de utentes ou profissionais” infetados, num universo em que 65% por cento dos trabalhadores já foram testados.

Com o principal foco de infetados a registar-se ainda na região Norte, onde também vários lares já foram identificados como tendo casos de Covid-19, Eduardo Pinheiro, coordenador do combate à pandemia na região Norte, garantiu à Rádio Observador que a prioridade é agora testar os profissionais de lares e os utentes. À data de ontem, um terço já tinha passado por testes e o objetivo do também secretário de estado é testar todo o universo até ao fim da próxima semana. É esse o número que sai em destaque ao dia de hoje, com 20 mil profissionais a terem de passar pelo teste.

[Eduardo Pinheiro esteve no “Direto ao Assunto”, na Rádio Observador]

“Não faltei a nenhuma reunião”. A entrevista ao Secretário de Estado da Mobilidade

“São os profissionais que entram e saem e são eles que podem transportar o vírus para dentro das instituições”, afirmou. Na mesma linha, depois de recordar que 12% das estruturas residenciais para pessoas idosas têm casos de infeções, o secretário de Estado da Saúde deixou uma mensagem aos funcionários das instituições.

“As pessoas mais velhas são desde o início uma preocupação acrescida. Temos naturalmente a obrigação de garantir a sua segurança e proteger a sua saúde. Aproveito para agradecer aos muitos funcionários destas instituições pelo trabalho, pela abnegação, dedicação e sentido cívico que têm demonstrado”, referiu em conferência de imprensa.

Região Norte vai testar todos os lares até à próxima semana