O Sindicato dos Jornalistas (SJ) anunciou esta sexta-feira que foi informado por trabalhadores da Impala de que o grupo vai avançar com o despedimento coletivo de 54 pessoas, desconhecendo quantos são jornalistas.

Em comunicado, a estrutura sindical refere que o grupo, que detém as revistas Nova Gente ou Maria, entre outros títulos, “vai avançar com um despedimento coletivo que abrangerá 54 pessoas”.

Apesar de os trabalhadores ainda não terem sido “formalmente informados, o SJ está já a proceder ao acompanhamento jurídico dos associados que trabalham no grupo”, adianta.

“O SJ foi também informado de que a Impala está já a substituir os trabalhadores que serão dispensados por pessoal de uma empresa paralela chamada Win-Worldimpala, que tratava dos conteúdos online do grupo, ao que nos foi reportado em condições laborais menos justas e dignas”, denuncia a estrutura sindical.

O sindicado diz que “já questionou a administração do grupo sobre essa opção, que considera altamente questionável e eticamente reprovável”, e “apela ainda aos trabalhadores da Impala para que constituam órgãos coletivos de representação, para que melhor se possam defender”.

De acordo com o avançado por vários media, a Impala fez um pedido para aceder ao regime de layoff, mas este terá sido recusado por a empresa estar em Processo Especial de Revitalização (PER). Este foi homologado em junho de 2016, de acordo com o portal Citius.