Filmes de Wes Anderson, Viggo Mortensen, François Ozon e Sharunas Bartas, numa coprodução portuguesa, estão na seleção oficial do festival de cinema de Cannes, ainda que a edição deste ano tenha sido cancelada, foi esta quarta-feira anunciado.

O festival de Cannes, marcado para maio, não aconteceu nos moldes tradicionais por causa da Covid-19, mas a direção não admitiu isto como um cancelamento total, remetendo para esta quarta-feira o anúncio da seleção oficial.

O que significa que os 56 filmes esta quarta-feira revelados, entre cerca de dois mil acolhidos pela organização, poderão ser exibidos nos cinemas nos próximos meses e em 2021 com o selo de “seleção oficial de Cannes”.

Entre os filmes esta quarta-feira anunciados está “Na penumbra”, filme do realizador lituano Sharunas Bartas, coproduzido pela portuguesa Terratreme, e “Casa de antiguidades”, primeira longa-metragem do realizador brasileiro João Paulo Miranda Maria.

Foram ainda escolhidos “The French dispatch”, de Wes Anderson, “Été 85”, de François Ozon, “Falling”, a estreia do ator Viggo Mortesen somo realizador, e ainda dois episódios da série televisiva “Small Axe”, de Steve McQueen.

A curadoria de Cannes passou ainda pela escolha dos filmes “Soul”, de Peter Docter pelos estúdios Pixar, e “Aya and the witch”, de Goro Miyazaki, primeiro filme em animação 3D dos estúdios Ghibli.

Na terça-feira, o delegado geral do festival, Thierry Frémaux, tinha anunciado que “muitos outros festivais manifestaram vontade de acolher os filmes da seleção oficial de Cannes”, tal como acontece em anos anteriores, nomeadamente os de Toronto, San Sebastian (Espanha), Rio de Janeiro ou Mar del Plata (Argentina).

Recordando que a Covid-19 obrigou ao encerramento dos cinemas, de forma inédita em mais de um século de projeções públicas, Thierry Frémaux considera que esta seleção oficial de filmes espelha a vitalidade do cinema atual.

Tal como anunciado anteriormente, o mercado do filme de Cannes, um dos eventos paralelos do festival para profissionais da indústria, decorrerá este ano apenas online.

Está ainda por revelar a seleção de filmes da Semana da Crítica e da Cinéfondation.