O alto representante para a Política Externa da União Europeia (UE), Josep Borrell, pediu ao Mali que investigue a morte de várias pessoas no centro do país, por suspeita de que as Forças Armadas possam estar envolvidas.

“A União Europeia expressa a sua indignação e profunda preocupação com o que constitui uma clara violação dos direitos humanos”, disse Josep Borrell num comunicado citado pela agência de notícias espanhola EFE, após terem sido assassinadas mais de 40 pessoas, incluindo mulheres e crianças, entre os dias 03 e 05 de junho.

O coordenador da Política Externa da UE pediu ao governo do Mali para concluir as investigações que foram iniciadas e criar as condições necessárias para apurar as circunstâncias exatas desses ataques, “para que a justiça seja feita, e que lute contra a impunidade dos culpados de tais atos, sejam eles quem forem”.

Borrell acrescentou que a UE está “totalmente mobilizada em conjunto com os estados da região do Sahel” para alcançar a estabilidade, desenvolvimento e segurança na região.

“O nosso compromisso é condicionado e baseado no respeito dos direitos humanos e ao direito internacional humanitário, que são os princípios essenciais de nossa ação. Nada pode justificar os abusos que apenas fortalecerão as mesmas pessoas contra quem lutamos”, concluiu.