O Partido Socialista mantém uma posição confortável nas sondagens. Apesar de perder três décimas nas intenções de voto em junho face ao mês anterior, de acordo com o Barómetro Intercampus para o Negócios e Correio da Manhã, reúne por esta altura 40,0% das intenções de voto (mais 3,7 pontos percentuais do que nas eleições), praticamente o mesmo do que PSD, BE e PCP juntos. Noutra sondagem, da Aximage para o Jornal Económico, o PS acumula 39,9%, uma subida de 4,8 pontos percentuais face ao estudo anterior, feito em fevereiro.

Sem conseguir aproximar-se, o PSD tem apenas 24,1% das intenções de voto na sondagem da Intercampus, quase 16 pontos percentuais de diferença face aos socialistas, apesar de ter uma subida de oito décimas face ao mês anterior. Na sondagem da Aximage, com 25,8% dos votos, a diferença não é tão grande, mas ainda é elevada — cerca de 14 pontos percentuais.

Em terceiro lugar em ambas as sondagens, o Bloco de Esquerda também sobe oito décimas em junho face a maio, atingindo 9,8% no barómetro da Intercampus (uma décima acima do resultado das eleições), mas nas contas da Aximage atinge apenas 8%, após uma subida de três décimas face a fevereiro.

O quarto partido com mais intenções de voto é agora o Chega. A sondagem da Intercampus não traz qualquer alteração face a maio, com 6,8% (seis décimas de vantagem face à CDU), mas o lugar antes ocupado pelos comunistas é agora confirmado também pela Aximage, aqui com um resultado mais baixo, de 5,3% para o partido de André Ventura — ainda assim quatro vezes mais do que nas eleições.

A CDU, apesar de uma subida mensal de três décimas no barómetro da Intercampus, para 6,2% (três décimas a menos do que nas eleições), ainda não conseguiu recuperar a posição perdida. A situação parece ainda mais difícil na sondagem da Aximage, com apenas 4,9%.

O CDS, que no mês anterior estava empatado com o PAN, teve uma subida de quatro décimas na sondagem da Intercampus, para 4,1% (menos duas décimas do que nas eleições), enquanto o partido liderado por André Silva cai cinco décimas, para 3,1%. Na sondagem da Aximage, no entanto, os papéis invertem-se: 0 CDS cai para 1,2% (ficando apenas acima do Livre) e o PAN tem 4,3%.

Entre os pequenos partidos, destaque ainda para a queda projetada para a Iniciativa Liberal. No caso da Intercampus, estão em causa menos 1,3 pontos percentuais, para 1,9% das intenções de voto — apesar de tudo, mais seis décimas do que nas eleições. E na sondagem da Aximage há uma quebra de 1,1 pontos percentuais, de 2,5% em fevereiro para 1,4% em junho, regressando a valores próximos aos que tiveram nas eleições. O Livre sobe uma décima, para 0,8%, na sondagem da Intercampus e apenas 0,2% na Aximage.