Milhares de banhistas ocuparam na quarta-feira quase toda a extensão de areia das praias Bournemouth para aproveitarem a subida da temperatura, menosprezando os cuidados aconselhados. As temperaturas chegaram aos 32,6ºC na quarta-feira, o dia mais quente do ano até agora, e espera-se que cheguem aos 33ºC nesta quinta-feira, segundo a Sky News. Mesmo com a diminuição de casos, as recomendações em relação ao uso de máscara e distanciamento de dois metros ainda estão em vigor e as autoridades recomendam na sua página oficial que as pessoas fiquem em casa.

Com a subida das temperaturas, esta quarta-feira, tal como já tinha acontecido nos dias anteriores, circularam pela internet várias imagens de praias com largas multidões de pessoas que aproveitavam o calor. Nas fotografias captadas é possível observar milhares de pessoas nas praias de Bournemouth, tanto no areal como na água, sendo que poucas parecem cumprir as recomendações das autoridades.

A adoção de uma maior descontração deu-se um dia depois de Boris Johnson anunciar que a distância social obrigatória iria ser reduzida a partir de 4 de julho, afirmando que a regra de dois metros é “incompatível para grande parte dos setores económicos”.

O governo decidiu que, nos locais onde não seja possível manter uma distância social de dois metros, as pessoas devem manter uma distância de pelo menos um metro e adotar outras medidas para reduzir o risco de transmissão do coronavírus.

O governo britânico está ainda a avaliar a criação de “corredores de viagem” com uma série de destinos para que os britânicos possam ir de férias sem precisar de cumprir a quarentena de 14 dias no seu regresso ao Reino Unido. Portugal é ainda objeto de debate, sendo que a imprensa britânica considera que o país não deverá ser incluído na lista, devido ao aumento de casos de coronavírus nos últimos dias na região de Lisboa e sul do país.

Incerta inclusão de Portugal entre países com corredores para Reino Unido

O Reino Unido é um dos países europeus mais afetados pela pandemia, tendo registado até ao momento 43.081 mortes e 306.862 casos de contágio, segundo os dados mais recentes.